Seja bem-vindo à Auschwitz (Oświęcim) ''Cidade da paz'' 2017

 
 
  • Welcome !!!
  • Hei
  • Hello
  • Neih hou
  • Goddag
  • Salut
  • Hola
  • Konnichi wa
  • Annyong
  • Gruess dich
  • Goddag
  • Oi
  • Priwiet 
  • Hejsan
  • Ciao
 


Auschwitz (Oświęcim) – cidade cujo nome já provoca arrepios. Tudo por conta da história que aconteceu por aqui há cerca de 70 anos. Acontece, entretanto, que a cidade está viva e se desenvolve mesmo carregando as terríveis lembranças do tempo em que pessoas conseguiram criar um verdadeiro inferno na Terra. Convidamo-los à cidade que, sem dúvidas, lhes surpeenderá. 



Informações gerais:

Prefeito - Janusz Chwierut

área - 30 km²

altitude - 230 m. above sea level

população (2014)  - 39 562

densidade demográfica - 1330 pers/km²

código telefónico - (+48) 33

código postal: 32-600, 32-601, 32-602, 32-603, 32-606, 32-610

matrículas - KOS


Oświęcim – turística

Oświęcim é uma cidade amigável para os turistas. Não apenas graças à excelente rede de transporte, ou à desenvolvida rede de hotéis e atrações gastronómicas, mas também graças à sua vantajosa localização que faz com que seja possível se fazer viagens de um dia inteiro para aproveitar uma série de atrações turísticas encontradas nesta parte da Polónia.



Atrações de Auschwitz (Oświęcim)


Auschwitz


O campo de extermínio Auschwitz I (em Oświęcim) e o campo Auschwitz II-Birkenau na cidade vizinha de Brzezinka. Auschwitz é mais que um testemunho de tempos doentis. A visita por lá é uma experiência que ficará para sempre na memória. Mais informações na parte inferior da página.


Castelo gótico


Construído na virada do século XII e XIII – a melhor prova de quão antiga é a cidade de Oświęcim e quanto ela perde por ser taxada de “cidade dos campos de extermínio”. O castelo é também sede do museu histórico e arqueológico.


Igreja da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria


(do século XIV) – vale observar a torre quadrada característca do século XIX. Elemento este que fora replicado nos templos que sem encontram no território das Terras de Oświęcim e suas redondezas.


Mercado


A encantadora e restaurada praça bem no coração da cidade passa o verdadeiro clima do século XIX do centro da cidade Galega. O mercado em si foi criado na idade média. Hoje aqui bate o coração da cidade. Vale à pena verificar a ampla oferta gastronómica desta cidade.


Museu Judaico e antiga sinagoga 

Lugar que mostra uma pequena fração do mundo que existiu em Oświęcim antes do início da II Grande Guerra Mundial.


Festas regulares

Pode-se usar o tempo livre nas constantes festas organizadas todos os anos. Para este tipo de evento, encontram-se as seguintes festas:

  • Festival Life de Oświęcim
  • Meias-finais do Festival do Sabor da Pequena Polónia
  • Festival de Outono de Oświęcim
  • Semana da Cultura dos Beskides


Oświęcim – história da cidade

Aqueles que pensam que Oświęcim é feita apenas dos campos de concentração, com certeza ficarão espantados ao saber que mil anos atrás já haviam assentamentos no local. A própria história da cidade já continha diferentes períodos: tempos especiais de glória, prosperidade e abundância, intercalados com períodos de colapso total.


A primeira era das glórias de Oświęcim durou quatro anos (do século XIII até o século XVII) e estava associada ao desenvolvimento do comércio (dentre outros, do sal). Alguns sinais deste período são, dentro outros, o castelo gótico do século XII e a igreja paroquial do século XVI. Mas mesmo a maior glória um dia chega ao fim. Chegou à Oświęcim uma onda de destruição que quase limpou a cidade do mapa. Refere-se aqui, dentro outros, aos Suecos que no século XVII saquearam nosso país.


A segunda era das glórias durou muito menos – da metade do século XIX até o início da II Guerra Mundial. A razão para esta nova ressurreição foi a localização da cidade. Desta vez, sob a linha de trem que ligava Cracóvia à Viena. Mas desta vez a glória foi sucedida por desastres naturais como incêndios e alagamentos. E quando achava-se que tudo de ruim que estava separado para a cidade já havia passado, se eclodiu a II Guerra Mundial. E no território da cidade, decidiu-se instalar a sede do inferno na Terra.

A guerra acabou e a vida começou a voltar ao normal. Surgiram novos bairros de moradia e novos postos de trabalho. Começaram a chegar aos campos as primeiras viagens de turistas que queriam se convencer se aquilo que leram de facto aconteceu...


Telefones e moradas importantes.

Morada, número, edifício 



Stanisławy Leszczyńskiej 16 , Oświęcim

+48 338 448 003

Auschwitz-Birkenau


Wysokie Brzegi 4, Oświęcim

999


Wolności 90, 42-625 Ożarowice (Katowice) - 50km

Medweckiego 1, 32-083 Balice (Kraków) - 42km

+48 32 392 72 00

+48 12 295 58 00


Powstańców Śląskich 22, Oświęcim

+ 48 33 843 00 25


Powstańców Śląskich 22, Oświęcim

Stanisławy Leszczyńskiej 11, Oświęcim

+48 33 843 18 17

+48 33 843 15 28


Stanisława Wyspiańskiego 2, Oświęcim

997


Zatorska 2, 32-600 Oświęcim

998



Auschwitz – Birkenau não foi apenas o maior campo de mortes, mas sim, um lugar que até hoje pode surpreender por seu caráter. O símbolo do terror e do maior genocídio do século XX não é somente o maior campo de extermínio do mundo. É também um aviso e um lugar no qual cada um de nós pode aprender uma lição especial. Inaugurado em 1940 o campo era para ser um dos muitos campos de trabalho Alemães.

 

O desejo de exterminar os judeus e se livrar de todos aqueles considerados inimigos do povo Alemão fez, no entendo, com que Auschwitz se tornasse rapidamente em uma poderosa fábrica de mortes. A partir de 1942, ou seja, a partir da aceitação do plano de extermínio da população judaica até segunda ordem, foram assassinados aqui cerca de 1,5 milhão de pessoas. Embora o extermínio tenha atingido cerca de 30 nacionalidades, a maioria das vítimas era judia. Foram exterminados aqui também ciganos, Polacos e soldados Soviéticos. Entre os prisioneiros encontravam-se também Alemães que criticavam a política nazista. 

O museu instalado aqui após a guerra homenageia aqueles que morreram nas câmaras de gás e no paredão da morte. Homenageia aqueles que caíram de cansaço e fome. O museu é um dos monumentos de martírio mais impressionantes do mundo. É composto por dois campos: Auschwitz e o segundo, distante 4km do primeiro, Birkenau. O primeiro foi preservado quase intacto e sua características mais marcante são os muros de tijolos do campo. O destruído campo de Birkenau pode, entretanto, surpreender pelo silêncio, paz e a grande quantidade de vegetação. Sobraram os restos do crematório e inúmeros barracões de madeira bem conservados.

O objeto principal de interesse desta parte do campo é, entretanto, a parada de comboio na qual era feita a selecção dos prisioneiros. Um monumento no centro do campo de Birkenau foi construído em homenagem àqueles que iam diretamente ao crematório e àqueles que morreriam após alguns meses de trabalho, fosse de fome ou de cansaço.

O campo inclui não apenas blocos, barracões e outras construções autênticas. O que causa a impressão mais eletrizante são os itens dos prisioneiros: 

 
  • sapatos
  • malas
  • panelas
  • próteses
  • óculos
  • escovas
  • pentes
  • louças e muitos outros.

Sua simplicidade em conjunto com seu acúmulo em enormes quantidades – fala mais forte que fotos drásticas daqueles tempos. É claro que deve-se enfatizar que é igualmente chocante visitar os lugares nos quais os presos eram detidos. A parede de execução, as ruínas dos crematórios, a cela da morte de São Maximiliano Kolbe, escritas deixadas nas paredes pelos prisioneiros – não é necessária uma grande imaginação para se sentir na própria pele a situação trágica à qual se encontravam as pessoas levadas ao campo de concentração.

Como exemplos de provas tangíveis da crueldade dos agressores existem itens como latas já vazias de Zyklon B – o gás utilizado nas câmaras de gás e chicotes usados para o espancamento de prisioneiros.

Sombrios, mas extremamente valiosos do ponto de vista histórico, os edifícios fazem parte da lista de patrimónios da UNESCO. Durante a viagem para tais lugares como Oświęcim e ao campo Auschwitz – Birkenau, cada um de nós pode entender melhor as questões relacionais ao holocausto e à II Guerra Mundial. Todos podem ver à quais consequências podem levar o ódio humano e a ideologia nacionalista.

A visita ao museu, para muitos visitantes, é um evento que não se apaga da memória. O que encontramos no local choca e traz a sensação de um pesadelo surreal que, infelizmente, aconteceu de verdade...

O museu é visitado todos os anos por mais de milhões de pessoas de mais de cem países.


O museu encontra-se na rua: Oświęcim, Więźniów Oświęcimia 20. 


Suporte no gerenciamento do sítio

dados bancários

número de conta bancária: PL80102048700000550200397315

BIC (Swift): BPKOPLPW


Nome: Dawid Podgorski

Cidade: Wolin 72-510